Frágil.
Poema enviado por: Vitória Aparecida da Silva Santos
 
A vida é tão frágil... num estante, a felicidade toma conta do seu corpo e transforma-o em abrigo com a ideia de carregar um outro ser humano. Outrora, a melancolia, com sua imensidão e rapidez, corta-o em pedaços como pontas de vidro tão afiadas que perfura o seu útero e o preenche com um saco vazio de solidão, e, nada mais. Não uma, nem duas, mas três. E, à medida que transfixaram o seu corpo, esvaíram, por conseguinte, seu encantamento com a vida.
Apressuradamente, não pôde ouvir os batimentos cardíacos e, tampouco, chorar por aquela que amava, mesmo que tão precocemente. Inopinadamente, lá estava, cabisbaixa, no leito do hospital, sozinha, e, com olhos cheios d’água, pôr-se a chorar, incontrolavelmente. O peso do mundo caiu sobre suas costas. A vastidão que inundava seu coração transcendia para fora como uma súplica. Uma suplica que ninguém ouviu ou preferiram ignorar.





Vitória.
 
Autor: Vitória Aparecida da Silva Santos
» Ações
            

» Dados sobre o Poema
Título Frágil.
Autor Vitória Aparecida da Silva Santos
Categoria Infelicidade
Cadastro 16/12/2020 16:06:24
Visitado 120 vezes
Enviado Nenhuma vez



» Enviar este Poema
 
Seu nome
Seu e-mail
Nome do Destinatário
E-mail do Destinatário
Escreva uma Mensagem
  
 

© Copyright 1998 - 2021 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.