Tempestade
Poema enviado por: Bruna A. de Almeida
 
Estes últimos meses sofri ?
Como se estivesse num corredor da morte
Me fechei amargamente, estive aprisionada

Precisava viver ao mesmo tempo que morrer
Um renascimento como uma fênix em mim
Eu já não queria mais falar para não machucar

Pensava que todas as feridas poderiam se abrir
E todas as lágrimas rolar pela sua face
Então, me afastei para te proteger de mim mesma

O meu coração se partiu por te deixar
Sem ao menos dizer adeus eu te deixei
Doeu tudo que fiz

Agora meus olhos apenas procuram os seus
Como uma lança parti seu coração ao meio
Eu sei que errei quando te abandonei

Mas estou aqui para recuperar o que perdi
Um amor, uma amizade que se devastou ?
Como uma tempestade dentro de mim
 
Autor: Bruna A. de Almeida
» Ações
            

» Dados sobre o Poema
Título Tempestade
Autor Bruna A. de Almeida
Categoria Infelicidade
Cadastro 30/03/2017 20:24:21
Visitado 359 vezes
Enviado Nenhuma vez



» Enviar este Poema
 
Seu nome
Seu e-mail
Nome do Destinatário
E-mail do Destinatário
Escreva uma Mensagem
  
 

© Copyright 1998 - 2019 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.