INSEGURANÇA
Poema enviado por: Edmundo de Souza
 
Meia noite e quatorze minutos. Por estas horas, você deve está cheirosa, bonita, charmosa... Dançando e se exibindo sob o olhar de estranhos. Talvez, até quem sabe, nos braços de outra pessoa, bailando ao som do forró que tanto você gosta. Confesso que sinto raiva, ciúmes, decepção e também arrependimento, por não está ao teu lado agora. Chego a me prometer que não mais responderei, quando mandares mensagens ou até, a uma possível ligação telefônica. Não consigo dormir. Penso e me pergunto: o que deves estar fazendo neste momento? Como é ruim este medo que a incerteza de não Saber, se te perdi de vez ou não me faz sentir!
 
Autor: Edmundo de Souza
» Ações
            

» Dados sobre o Poema
Título INSEGURANÇA
Autor Edmundo de Souza
Categoria Insegurança
Cadastro 01/09/2013 09:27:52
Visitado 1163 vezes
Enviado 2 vezes



» Enviar este Poema
 
Seu nome
Seu e-mail
Nome do Destinatário
E-mail do Destinatário
Escreva uma Mensagem
  
 

© Copyright 1998 - 2019 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.