Agora minha vida é vazia, porque tú derivaria? O ar em primeira instância já não enche os pulmões como antes com tua fragrância. Minhas pernas caminham sem destino, sem a esperança do teu vigor matutino. O coração que a antes pulsava a tua imagem, Só avista nebulosas miragens... Por todos esses anos eu vaguei tentando apagar os danos, com a certeza que você era razão de minha existência nesse plano...
 
Autor: 
» Ações
      

» Dados sobre o Poema
Enviado por Caio Augusto
Autor
Cadastro 03/02/2020 22:14:59
Visitado 21 vezes
Enviado Nenhuma vez



» Enviar este Poema
 
Seu nome
Seu e-mail
Nome do Destinatário
E-mail do Destinatário
Escreva uma Mensagem
  
 

© Copyright 1998 - 2020 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.