Pablo Neruda
Pablo Neruda (Neftalí Ricardo Reyes Basoalto), foi um poeta chileno, um dos mais importantes poetas da língua castelhana do século XX, nascido em Parral (Chile) no dia 12 de Julho de 1904, Filho de José del Carmen Reyes Morales, operário ferroviário, e dona Rosa Basoalto Opazo, professora primária, morta quando Neruda tinha um mês de vida. Cônsul do Chile na Espanha (1934-1938) e no México, eleito senador em 1945, foi embaixador na França (1970). Suas poesias da primeira fase são inspiradas por uma angústia altamente romântica. Passou por uma fase surrealista. Tornou-se marxista e revolucionário, sendo, primeiramente, a voz angustiada da República Espanhola e, depois, das revoluções latino-americanas. Faleceu em Santiago (Chile) no dia 23 de Setembro de 1973.
 
Dica: Clique no título de cada campo da tabela para ordenar a lista de Poemas.
Pode ser ordenada de forma Crescente () ou de forma Decrescente ().
 
Título VisitasEnvios
Amiga, no te mueras46704 vezes189 vezes
Arte poética19999 vezes36 vezes
Barrio Sin Luz5409 vezes11 vezes
Caballo de los sueños8362 vezes7 vezes
Déjame sueltas las manos10646 vezes63 vezes
El fantasma del buque de carga3420 vezes3 vezes
Entierro en el este3675 vezes7 vezes
Esclava mía, témeme. Ámame. Esclava mía!7353 vezes26 vezes
Farewell6926 vezes14 vezes
Hago girar mis brazos como dos aspas locas...4171 vezes9 vezes
Hoy, que es el cumpleaños de mi hermana3403 vezes4 vezes
La Canción Desesperada11937 vezes34 vezes
La tarde sobre los tejados6318 vezes11 vezes
Maestranzas de Noche4243 vezes6 vezes
Mariposa de otoño9332 vezes20 vezes
Me gustas cuando callas porque estás como ausente (Poema 15)12975 vezes99 vezes
Niña morena y ágil, el sol que hace las frutas (Poema 19)7995 vezes46 vezes
Para que tú me oigas (Poema 5)13987 vezes36 vezes
Poema 1025410 vezes41 vezes
Poema 812392 vezes15 vezes
Poema al Rio de Janeiro6797 vezes19 vezes
Puedo escribir los versos más tristes esta noche (Poema 20)8376 vezes73 vezes
Sensación de Olor4921 vezes4 vezes
Significa sombras5616 vezes1 vez
Sonata y destrucciones3889 vezes3 vezes
Tango del viudo4374 vezes2 vezes
Te recuerdo como eras en el último otoño (Poema 6)7325 vezes20 vezes
Unidad6269 vezes4 vezes


 

© Copyright 1998 - 2017 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.