Antônio Frederico de Castro Alves
Poeta brasileiro da última fase do romantismo (Muritiba, BA, 1847 - Salvador, 1871). Extremamente sensível às inspirações revolucionárias e liberais do séc. XIX, viveu com intensidade os grandes episódios históricos do seu tempo e foi, no Brasil, o anúncio da Abolição e da República; devotou-se apaixonadamente à causa abolicionista, o que lhe valeu a antonomásia de "Cantor dos escravos". Teve intensa vida sentimental, havendo desempenhado importante papel em sua lírica a ligação amorosa com a atriz Eugênia Câmara. Duas vertentes se distinguem em sua poesia: a feição social e humanitária, à Vitor Hugo, em que alcança momentos de fulgurante eloqüência épica; a feição lírico-amorosa, mesclada da sensualidade de um autêntico filho dos trópicos.
 
Dica: Clique no título de cada campo da tabela para ordenar a lista de Poemas.
Pode ser ordenada de forma Crescente () ou de forma Decrescente ().
 
Título VisitasEnvios
A Canção do Africano17030 vezes75 vezes
A Criança23834 vezes51 vezes
A Cruz na Estrada11031 vezes26 vezes
A Eugênia Câmara6573 vezes6 vezes
Adormecida26628 vezes92 vezes
Aves de Arribação6073 vezes12 vezes
Boa-Noite38013 vezes58 vezes
Crepúsculo Sertanejo9010 vezes13 vezes
Estrofes do Solitário12278 vezes23 vezes
Hebréia6379 vezes15 vezes
Horas de Saudade66963 vezes411 vezes
Lúcia14208 vezes31 vezes
Mocidade e Morte8580 vezes15 vezes
O 'Adeus' de Tereza 10424 vezes24 vezes
O Gondoleiro do Amor41519 vezes252 vezes
O Livro e a América5325 vezes13 vezes
O Navio Negreiro (Tragédia no mar)10817 vezes47 vezes
O Século7179 vezes3 vezes
Ode ao Dous de Julho5190 vezes5 vezes
Pedro Ivo5482 vezes5 vezes
Quando eu Morrer ...27660 vezes49 vezes
Tragédia no Lar7572 vezes9 vezes
Vozes d'África6889 vezes17 vezes


 

© Copyright 1998 - 2020 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.