A carne é triste depois da felação
 
 
A carne é triste depois da felação
Depois do sessenta-e-nove a carne é triste.
É areia, o prazer? Não há mais nada
Após esse tremor? Só esperar
Outra convulsão, outro prazer
tão fundo na aparência mas tão raso
na eletricidade do minuto?
Já dilui o orgasmo na lembrança
E gosma
escorre lentamente de tua vida.
 
Autor: Carlos Drummond de Andrade
» Ações
            

» Dados sobre o Poema
Título A carne é triste depois da felação
Autor Carlos Drummond de Andrade
Visitado 17695 vezes
Enviado 33 vezes



» Enviar este Poema
 
Seu nome
Seu e-mail
Nome do Destinatário
E-mail do Destinatário
Escreva uma Mensagem
  
 

© Copyright 1998 - 2019 Poemas de Amor. Todos os direitos reservados.